Cacau Baiano rastreado em Blockchain

  1. Início
  2. Blockchain
  3. Cacau Baiano rastreado em Blockchain

Cacau Baiano rastreado em Blockchain

O estado da Bahia é o segundo maior produtor de cacau do país. Embora esteja atrás do Pará neste quesito, que produz mais de 140 mil toneladas por ano, os baianos são os que mais exportam a fruta, chegando a ser responsável pelo envio 98% do cacau brasileiro para o exterior. 

Entendendo a importância do estado e almejando ser conhecido como referência nacional e internacional em cacau em qualidade superior, um grupo de entidades chamado IG Sul da Bahia resolveu apostar no blockchain.

Com ajuda da tecnologia, a equipe formada por Cooperativas Associadas (entre elas Cooperativa de Serviços Sustentáveis da Bahia- COOPESSBA, Cooperativa de Pequenos Produtores de Cacau, Mandioca e Banana do Centro da Região Cacaueira – COOPERCENTROSUL, Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências-  COOPFESBA) e o Centro de Inovação do Cacau-CIC, irá rastrear e certificar sua produção de cacau.

Por meio de uma parceria com uma empresa especializada, os produtores poderão ter acesso a toda linha de produção da fruta em qualquer aparelho com acesso ao Google Play Store. 

“Esse sistema garante a rastreabilidade de cada lote registrado e a comprovação da origem. A indicação Geográfica tem um compromisso com a responsabilidade, a transparência, a segurança e a qualidade. Esses são os pontos chaves dessa tecnologia, que garante um produto saudável, oriundo de uma região de grande relevância ambiental, que cumpre seu papel com a legislação, respeita às questões trabalhistas e sociais. Temos muito o que avançar, mas estamos assumindo a vanguarda de um processo inovador e que agrega valor à cadeia produtiva do cacau e do chocolate e permite acesso a novos mercados”, comenta a gerente de qualidade do Centro de Inovação de Cacau, Adriana Reis.

Menu