Criptomessi do PSG

Lionel Messi foi um dos nomes mais falados e pesquisados nas últimas semanas. Após 20 anos, o astro argentino se despediu da torcida do Barcelona e voou rumo às terras francesas, com uma contratação milionária pelo PSG.

Ao todo, quando fazia parte do time espanhol, o jogador participou de cerca de 778 jogos em 17 temporadas, fez 672 gols e recebeu 34 títulos, entre eles: 4 Uefa Champions League. Mas além dos campos, Messi também se mostrou uma estrela das criptomoedas.

O jogador, que já investia em criptoativos, recebeu boa parte de um bônus referente à mudança para o novo time, de US$ 30 milhões em moedas digitais. As criptomoedas em questão são os tokens do próprio time, os $PSG Fan Tokens.

No início de agosto, quando a transferência do craque era mera especulação, o PSG Token chegou a disparar, aumentando 145% em apenas 4 dias. A ideia de ter um token próprio foi colocada em prática em 2018, quando o clube se juntou à uma plataforma especializada.

Sempre muito atento ao mercado, o time foi um dos primeiros grandes clubes a entrar para este setor, que utiliza os utility tokens para aproximar ainda mais os jogadores dos torcedores. Com esses tokens, os fãs podem participar desde decisões importantes sobre o clube, até garantir camisetas e ingressos de jogos.

Menu